COMO LIDAR COM UMA DECEPÇÃO AMOROSA: NÃO SE DEIXE LEVAR PELO TRAUMA DE UM MAU RELACIONAMENTO

Illustration von Gewalt gegen Kinder

Illustration von Gewalt gegen Kinder

Nos últimos posts aqui do blog tratei, entre outros temas periféricos, da questão de se dedicar a um relacionamento com uma pessoa que eu chamei de “inviável” e, no fim, sair no prejuízo. Para entender melhor estas questões, sugiro leitura dos dois últimos posts do blog. Bom, neste post tratarei de uma questão bem específica: COMO LIDAR COM A FRUSTRAÇÃO/DECEPÇÃO DE TER SE DEDICADO EFETIVAMENTE A UMA PESSOA DENTRO DE UM RELACIONAMENTO E SAIR NO “PREJUÍZO”.

A pessoa que eu chamo de inviável, como a própria palavra já remete, está relacionado a alguém que não representa “um caminho a se seguir”. Sabe quando você se depara com dois caminhos a seguir e sabe que não deve ir por um deles, pois existe a possibilidade ou até mesmo a certeza de que algo de ruim acontecerá com você naquele caminho? Pois bem, a pessoa inviável é este caminho, ou seja, alguém com quem você se relaciona existindo a possibilidade ou a certeza de que algo ruim acontecerá a você.

                Não é aconselhável se ter um relacionamento com uma pessoa inviável e, muito menos ter ela como exemplo de comportamento em um relacionamento. O motivo é claro: as pessoas inviáveis tendem a gerar elementos negativos para a vida das pessoas como dor, sofrimento, angústia, decepção, frustração, etc. E ninguém deseja estes elementos negativos para a sua vida e muito menos deve desejar para a vida dos outros. O sentido de um relacionamento é sempre gerar bem estar para os envolvidos (os cônjuges).

                Ressaltando: Se o sentido de um relacionamento é gerar bem estar para os cônjuges, não se envolva com uma pessoa inviável. Pois, as pessoas inviáveis tendem a não se dedicar a um relacionamento como os outros se dedicam a elas. Geralmente são pessoas que

a) Ficam em cima do muro;

b) Não se entregam e nem são capazes de reconhecer o que as pessoas fazem por elas;

c) Consomem os outros, ou seja, recebem tudo o que o outro tem a oferecer, mas não se movem para retribuir;

d) São indiferentes ao relacionamento, o vivem por viver;

e) São passivas e fogem da responsabilidade de fazer o relacionamento dar certo;

f) Consequentemente, jogam toda a responsabilidade para o outro, ou seja, entendem que o outro é responsável por fazê-la feliz e fazer o relacionamento prosperar.

                Deste modo, considerando o sentido de um relacionamento conjugal, a pessoa inviável é inapta para cumprir a função básica do relacionamento, que é gerar bem estar para ambos os cônjuges. O egoísmo, a indiferença com relação ao relacionamento, a passividade e a fuga da responsabilidade são preponderantes para se afirmar que, se uma pessoa inviável quer ter um relacionamento conjugal, deve mudar sua postura. Analise bem a pessoa com quem você convive e se perceber que ela tem esta postura, converse e tente mudar este quadro. Se não há mudança, continue a ler o texto.

                Ressaltando 2: Se o sentido de um relacionamento é gerar bem estar para os cônjuges, não siga o exemplo de comportamento de uma pessoa inviável. O porquê disto é bem óbvio. Se, por um lado, é recomendado que as pessoas não se envolvam com pessoas inviáveis, por outro lado, não é de se esperar que se recomende que alguém aja como alguém inviável dentro de uma relação, mesmo que seja em uma relação com outra pessoa com comportamento inviável para se cumprir a finalidade do relacionamento. É bastante comum que pessoas que têm reais interesses de viver um relacionamento conjugal e investem nele, ao perceber que a pessoa não age de acordo com o esperado para se atingir a finalidade do relacionamento, acabam reproduzindo o comportamento da pessoa inviável. Isto acaba gerando um inferno ao invés de um relacionamento saudável. “Não caia neste abismo”. Ao invés de você se tornar tal como a pessoa inviável é, algo que até você abomina, saia do relacionamento e procure alguém que compartilhe dos seus ideais de relacionamento saudável, que tem como finalidade o bem estar seu e do outro, com base na dedicação de vocês dois.

O PROBLEMA DE RECONHECER ALGUÉM INVIÁVEL

                Ah Anderson, mas falar para não se envolver com uma pessoa inviável é problemático! Como vou saber se a pessoa é inviável ou não? Bom, amigo, seu problema é o meu problema, é o problema do meu e do seu vizinho, do desconhecido na rua, no shopping, na China e em qualquer lugar do mundo. Não dá para reconhecer a priori uma pessoa inviável. Não está estampado na testa de ninguém. Não dá para saber só olhando para alguém se ele é inviável ou não. Isso quer dizer que todos corremos o risco de nos envolver com pessoas inviáveis.

                As pessoas inviáveis revelam a sua inviabilidade na medida da convivência. Acima eu citei diversas características de uma pessoa inviável, você pode observá-las na pessoa com quem você se relaciona e procurar determinar se a mesma é ou não inviável. Porém, muito cuidado com esta observação por alguns motivos:

a) Se você não for imparcial e não olhar para você também pode achar que o seu parceiro é inviável, mas na verdade ele tem apenas a característica de reagir ao seu comportamento.

b) Olhe para o relacionamento como um todo. O comportamento do seu companheiro pode não ser inviável, ele está inviável em detrimento da situação do relacionamento como um todo. Isso pode-se resolver.

c) Talvez o seu companheiro tenha até parte das características de uma pessoa inviável, mas vocês se dão bem. Se o comportamento do outro e o seu se adequam e vocês vivem bem desta maneira, não há por que “mexer no time”.

Ademais, uma pessoa inviável não nasceu inviável. A inviabilidade para um relacionamento não é inata, ou seja, não nasce com o indivíduo. Então, mesmo que você perceba que a pessoa apresenta o padrão de comportamento de inviabilidade, caso você julgue valer a pena, pode tentar conscientizá-la a mudar. A melhor maneira de fazer isso é com o exemplo. Procure mostrar que ser bom é bom, que não ser egoísta também é um bom modo de se viver a vida. Principal: mostre que nem todo mundo é ruim, que algumas pessoas pensam nas outras e querem o bem delas, e que retribuir o bem que os outros nos fazem também é algo que faz muito bem para si próprio. Algumas pessoas mudam com exemplo dos outros, elas passam a enxergar o mundo de outra forma vendo outras maneiras de se viver. Talvez, a pessoa inviável com quem você convive não consiga enxergar outras possibilidades de viver. Talvez ela esteja enclausurada no seu “mundinho”, nas suas experiências dolorosas ou algo do tipo. Mostre que as coisas podem ser diferentes. Cause impacto na vida dessa pessoa.

Porém, há gente que não muda com o exemplo, há gente que não consegue enxergar outras possibilidades, há gente que não sai do seu mundinho obscuro de revolta, de egoísmo, de narcisismo. Há quem se fechou para qualquer possibilidade de viver efetivamente um relacionamento e sempre fica com o pé atrás, desconfiado, na defensiva, indiferente, em cima do muro. E estas pessoas resistem a qualquer tentativa de mudança. Qualquer impressão positiva que se tente gerar nestas pessoas é em vão, pois elas sempre buscam algo de negativo dentro do que os outros fazem, na tentativa de justificar a sua resistência à mudança. Há casos em que estas pessoas desenvolvem até falhas de caráter para não se envolver por inteiro com alguém. Mas a pior falha destas pessoas é não saber reconhecer o que os outros fazem por elas. Não reconhecem a dedicação empregada pelos outros para fazê-las felizes, não reconhecem o esforço e a energia dos outros para fazer bem a elas. Tudo por egoísmo.

Pois bem. Afirmo que é inevitável que estas pessoas inviáveis, caso não desapeguem do seu mundinho obscuro, hora ou outra decepcionem as pessoas que se dedicam a elas. Nesse momento o mundo da pessoa que estava se dedicando desaba. O que a pessoa passa em um momento desse eu também já tratei no texto publicado antes desse. Dá para ter uma noção lendo-o. Quero tratar agora de uma questão específica: COMO REAGIR A ESTA DECEPÇÃO PROVINDA DE UMA PESSOA INVIÁVEL.

COMO REAGIR A ESTA DECEPÇÃO PROVINDA DE UMA PESSOA INVIÁVEL.

Serei bem objetivo para responder a esta questão. Já falei bastante do quão repulsivo é o comportamento da pessoa inviável com relação à pessoa que se dedica. Já falei que a pessoa que se dedica está sujeita a se envolver com pessoas inviáveis inevitavelmente, pois a inviabilidade não está estampada na cara de ninguém. Também já coloquei aqui que, além de repulsivo, é doloroso e revoltante, depois de tanta dedicação, ser decepcionado por alguém que não soube retribuir a sua dedicação, que só te consumiu e se aproveitou da sua boa vontade. Pois bem. Você está revoltado e a decepção está doendo em você, convertendo qualquer sentimento em raiva pela pessoa (é uma possibilidade) e te fazendo desacreditar que relacionamento seja uma coisa boa (é outra possibilidade). Porém, é necessário ter calma nesse momento e não sair amaldiçoando as pessoas e a vida. Vejamos o que fazer:

a) RESPIRE! NÃO DÁ, ESTOU COM RAIVA. Então, extravase e depois respire. Acalme-se e coloque a cabeça no lugar. Você não é um animal para agir baseado somente no instinto. Seja racional, pare e comece a raciocinar.

b) Já extravasou? Já se acalmou? Então vamos começar a usar a SENSATEZ e a LÓGICA. Estas duas senhoras serão suas companheiras neste momento e daqui por diante.

c) Você lerá outro texto deste blog chamado “Como esquecer a pessoa que ainda amo”. Há duas versões deste texto aqui no blog, a original e a versão revisada e complementada. Sugiro a leitura das duas versões.

                Veja bem, você agora precisa tirar a pessoa que te decepcionou da sua cabeça e precisa se estruturar emocionalmente. Os texto que eu mencionei no tópico “C” irá te ajudar nesta tarefa. Mas, além disso, você precisa adquirir certas noções essenciais a partir de agora para que a sua mente não passe por uma revolução e você abandone certos princípios e valores que te levaram a ser caracterizado como “o indivíduo que investiu e foi injustiçado”. Você foi a vítima na história, mas tem que manter o foco em certas noções para não acabar se tornando vilão. Você não vai querer isso!

VAMOS A ESTAS NOÇÕES:

  1. Você não agiu errado! Você investiu e se dedicou ao relacionamento, empregou tempo e energia para que ele prosperasse e atingisse o seu objetivo diário, que é gerar bem estar para a sua vida e a do outro, e ISSO NÃO É ERRADO! Pelo contrário, você foi exemplar. Você fez o que era para ser feito. Porém, o outro não deu o valor necessário e te decepcionou de alguma forma no fim, mas isto não te torna errado na história. ERRADO É QUEM NÃO SABE VALORIZAR A DEDICAÇÃO DO OUTRO.
  2. Você não é ingênuo! Assim como disse que você não estava errado, digo que você não foi ingênuo, bobo, idiota, inocente ou qualquer coisa do tipo que soe como pejorativo. Destes adjetivos colocados, ainda salvo o inocente, mas o coloco de uma maneira positiva: uma inocência boa, de quem acredita nas pessoas, de quem acredita que é possível ser feliz vivendo um sentimento admirável com outra pessoa, de quem não foi corrompido pela malícia, pela maldade dos outros, pelo egoísmo… A inocência de quem não se tornou insensível aos outros. QUEM NÃO TEM ESSA INOCÊNCIA NÃO SE PERMITE VIVER RELACIONAMENTOS VERDADEIROS.
  3. A decepção era um risco real! Já vimos que não há como saber a priori se a pessoa que você começa a se relacionar apresenta um padrão inviável de comportamento. Entrar e investir em um relacionamento é estar sujeito a riscos, positivos e negativos. Você arriscou e não deu certo, porém o mundo não se acaba com isso. Falo isso por que “A CONSCIÊNCIA LIBERTA”, então, ter consciência de que isso poderia acontecer, de certa forma, tranquiliza a pessoa.
  4. Não se decepcionar era um risco real! Bem, assim como não dá para saber a priori se uma pessoa é inviável, também não dá para saber se a pessoa é viável. O que quero dizer com isso? Que esta experiência que você teve foi desagradável pelo fato de você estar com uma pessoa inviável, mas que em outros casos você poderia ter uma experiência de relacionamento agradável. TUDO ESTÁ RELACIONADO A ENCONTRAR A PESSOA CERTA.
  5. Não generalize! Você correu um risco, você apostou e não deu certo a sua relação, pois você teve o azar de se relacionar com uma pessoa inviável. Mas nem todas as pessoas são inviáveis, há muitas pessoas aí fora que compartilham dos seus anseios e desejos de ter um relacionamento próspero. Você teve uma experiência negativa, mas não quer dizer que todas as suas experiências serão negativas. NÃO PERCA A FÉ.
  6. Não veja tudo negativamente! Em outras palavras, NÃO TENHA MEDO DE VIVER NOVAS EXPERIÊNCIAS. É comum que as pessoas se traumatizem com uma experiência negativa de relacionamento, mas é preciso se libertar deste trauma para que se possa viver relacionamentos verdadeiros. Um dos fatores que leva uma pessoa a se tornar inviável é o medo de se envolver com em um relacionamento, elas acham que se entregando efetivamente irão sofrer. Ou seja, o medo predomina nas pessoas inviáveis e isso é prejudicial para elas. Isso não permite que elas vivam relações verdadeiras. SE VOCÊ QUER VIVER UM RELACIONAMENTO DE MANEIRA EFETIVA, ABANDONE O MEDO. Abandone os seus fantasmas.
  7. Permita-se! Esteja aberto a ver o que os outros têm a oferecer. Você já teve uma experiência com uma pessoa inviável, então está mais pé no chão e sabe reconhecer quando uma pessoa está disposta a investir em um relacionamento e quando ela só quer te consumir. Analise-a, mas sem ser frio ou calculista. Mostre também que você está disposto a viver uma relação próspera. Se você achar a pessoa viável, tente mais uma vez e invista. Se ela se mostra inviável no início, procure ver se não há solução para ela mudar, talvez ela esteja apenas sendo cautelosa. Mas se a pessoa apresenta falhas de caráter, não passe por cima disso. Deseje boa sorte e siga o seu caminho, POIS HÁ OUTRAS PESSOAS ESPERANDO ANSIOSAMENTE POR RECEBER CARINHO E RETRIBUIR A QUEM LHES OFERECE ALGO TÃO PRECIOSO.
  8. Não deixe de acreditar! Não há garantias de que o amanhã será como hoje. Não há garantias de que as pessoas que você encontre amanhã sejam tão decepcionantes como as que você encontrou hoje. Na vida tudo flui, tudo muda, o devir é constante. Novas e melhores experiências podem vir, pessoas novas e de qualidade podem aparecer na sua vida. E quando estas pessoas de qualidade aparecerem, como já foi dito, não hesite, não fique com o pé atrás, não fique estagnado. PESSOAS ESPECIAIS SÃO RARAS, QUANDO ENCONTRAR ALGUMA, AGARRE COM FORÇA!

Por fim e para resumir…

9. Conserve os seus valores e anseios! Antes de você se decepcionar com a pessoa inviável, você acreditava que o relacionamento é algo bom para a sua vida. Não deixe de acreditar nisso. Quando você entrou no relacionamento, tinha em mente que queria fazer a pessoa que estava ao seu lado feliz. Não perca isso de vista. Fazer alguém feliz também nos faz feliz. FAZER O BEM A ALGUÉM É UM BEM QUE FAZEMOS A NÓS MESMOS. Esse valor é sinônimo de pureza, de uma alma que é envolta por uma aura positiva. Não perca isso, pois é isso que te faz especial… E o mundo precisa de pessoas com este valor.

_________________________

~:::~

(Anderson Yankee)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s