MANUTENÇÃO DO RELACIONAMENTO: COMO NÃO DEIXAR O RELACIONAMENTO FICAR CHATO

     casal-feliz1

___________________

        Já tratei diversas vezes aqui sobre como superar um relacionamento que chegou ao fim, sobre o que fazer para se sentir melhor após o fim, sobre problemas comuns de relacionamentos e outras temáticas dentro desse âmbito, o dos relacionamentos amorosos. Hoje trato de um assunto que também se encaixa dentro desta temática e que também, assim como os assuntos já tratados, é de grande importância (para se lidar com relacionamentos). O assunto de que irei tratar hoje é sobre manutenção de um relacionamento conjugal.
Imagina o caso: De repente você está vivendo a sua vida normalmente e conhece uma pessoa que te encanta e você inicia com ela um relacionamento. Vocês começam a passar um tempo junto fazendo coisas que gostam, podemos imaginar diversas coisas que vocês possam fazer a depender do gosto de vocês. Então passa mais tempo e vocês vão se conhecendo mais e mais na medida em que conversam. O relacionamento já está “firme” e vocês se vêem cada vez mais na medida do possível. E assim o relacionamento vai seguindo.
Esse é o exemplo de como comumente vemos alguns relacionamentos acontecerem/iniciarem no nosso cotidiano (não assumindo que todos sigam esta regra). Tomaremos este exemplo para discutir algumas questões aqui neste texto.
Pois bem, uma coisa que não é segredo e nem propriedade de pessoas intelectualizadas, mas pelo contrário, é bastante conhecido no meio popular, é que no início do relacionamento “tudo são rosas”, “tudo é lindo”, “tudo é perfeito”. Estes são ditos populares que explicitam o fenômeno de que no início dos relacionamentos (de maneira geral) tudo é uma maravilha, raramente acontecem coisas ruins, a harmonia entre os cônjuges flui naturalmente, enfim, praticamente tudo é bom. Isto acontece por que o relacionamento em si é novidade, as pessoas estão se conhecendo em uma relação perpassada pelo encantamento, então há aquela pureza por trás de tudo isso, não há mágoas, não há mentiras, não há nada negativo que tire a magia que está envolvendo a relação do casal. Isto torna o relacionamento “só flores”.
A notícia ruim é que o período de “flores” não dura para sempre; pelo contrário, às vezes dura bem pouco tempo. Pessoalmente, nos meus relacionamento este período de flores durou por volta de cinco meses no máximo. Então, o conselho que deixo é que este período seja aproveitado ao máximo, até onde der para aproveitar. De certo, só percebemos que ele acabou em um ato de consciência post festum, ou seja, só depois que ele o período acabou mesmo, então não sabemos exatamente quando ele acaba em si no mesmo momento em que acaba. Mas, de certo, uma hora ele acabará e, como já foi dito, você perceberá uma hora que ele já acabou.
Então, a primeira questão é: No início o relacionamento “tudo são flores” e com o tempo isso irá mudando até não ser mais como era no início; Isso quer dizer que o relacionamento passará a se tornar uma coisa chata?
Segunda questão: Há alguma maneira de não tornar o relacionamento uma relação chata entre duas pessoas que somente se aturam?
Terceira questão: Seria “o jeito” findar o relacionamento quando ele se torna chato para encontrar outra pessoa e “viver as flores” outra vez?
Na verdade estas três questões se resumem a uma questão complexa: O que fazer para manter o relacionamento agradável após o período de flores? Assumindo isso já respondemos parte das perguntas que fora colocadas acima. Ora, se estamos perguntando sobre o que fazer para manter o relacionamento agradável após o período de flores, então já pressupomos que há algo que possamos fazer para conservar os momentos agradáveis, ou seja, assumimos que há a possibilidade de manter esses momentos agradáveis, descartando assim a ideia de que após o fim do período de flores o relacionamento se tornará uma relação chata onde há apenas duas pessoas que se aturam.
Dadas estas considerações voltemos à questão que pretendo responder aqui: O que fazer para manter o relacionamento agradável após o período de flores? Um estudo feito pelo psicólogo Arthur Aron e seus colegas em 2000 envolvendo casais revelou certas coisas que podem nos ajudar a responder estas questões. O estudo consistia em convidar os casais a realizarem tarefas simples.Para o primeiro casal os cônjuges foram amarrados juntos pelos pulsos e tornozelos e tiveram que engatinhar de um lado ao outro da sala enquanto carregavam um travesseiro entre seus corpos. A outro casal foi dada a tarefa de rolar uma bola sobre um tatame e o outro casal não fez nada juntos. Após as tarefas serem executadas os casais foram entrevistados a respeito da satisfação nos seus relacionamentos. Resultado:
O primeiro casal que os cônjuges executaram uma tarefa nova, estimulante e competitiva reportaram mais satisfação no seu relacionamento do que o casal que executou uma tarefa simples que não trazia empolgação – como rolar uma bola – e que o casal que os cônjuges não fizeram nada juntos.
Que conclusão podemos tirar desse estudo? Uma dieta de atividades novas, empolgantes, atrativas de maneira geral pode ajudar na manutenção dos momentos agradáveis que entraram em baixa após o fim do “momento de flores”. Ou seja, para o casal manter dentro do relacionamento os momentos agradáveis e evitar que o mesmo entre em um estado de monotonia, de chatice onde os cônjuges têm que viver se aturando, se aguentando, suportando a pulso ou até mesmo fazer com que o relacionamento chegue ao fim.
É visto no dia a dia casais que praticamente não fazem nada juntos a não ser se encontrarem e conversar, beijarem-se, ter relações sexuais; Isso é bom, mas resumir um relacionamento a isso é condená-lo à monotonia e a chatice. Quando uma novidade é incorporada a rotina isso dá um efeito de “UP” no relacionamento, dá uma levantada no astral do relacionamento.
Se pensarmos no que era que tornava o início do relacionamento aquela relação onde tudo era bom, era justamente o fato de os cônjuges estarem vivendo uma novidade, basicamente esse era o fator principal que possibilitava o “momento de flores”. Sendo assim, para prolongarmos o período de flores e tornar o relacionamento sempre agradável precisaremos incorporar as novidades na rotina do relacionamento, isto inclui sair para lugares que o casal goste, viajar, jogar jogos, ir a lugares novos além dos que o casal goste; enfim, essa parte cabe a cada pessoa pensar e colocar em prática com seus cônjuges.
Conclusão: No início do relacionamento o casal vive o “momento de flores”, o qual tem data de validade. No entanto, não é necessário que os relacionamentos caiam na chatice, basta que se faça uma manutenção nesse relacionamento e o primeiro passo para isso é incorporar à rotina do relacionamento atividades novas, empolgantes para o casal.

DÊ ABAIXO SUGESTÕES DE ATIVIDADES LEGAIS PARA SE FAZER EM CASAL.

________________________

~X~ 

(Anderson Yankee)

3 respostas em “MANUTENÇÃO DO RELACIONAMENTO: COMO NÃO DEIXAR O RELACIONAMENTO FICAR CHATO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s