UM POUCO SOBRE A REALIDADE SOFRIDA DE UM PROFESSOR DE FILOSOFIA

Apesar de lecionar em apenas duas escolas (pode parecer pouco se comparado a professores que lecionam em um número maior de escolas para poder obter um salário melhor somando uma grande quantidade horas/aulas lecionadas), ele é responsável por 32 turmas que incluem turmas do nível médio e do nível fundamental. Destas, elas ainda se dividem de acordo com a rede de ensino, neste caso são 16 turmas na escola da rede pública e outras 16 turmas na escola da rede privada.

Segundo o próprio professor, ele ainda era responsável por mais turmas além das que já é agora, mas a chegada de outro professor na escola que ele leciona da rede privada permitiu que a sua responsabilidade diminuísse, quantitativamente falando. Ademais, ele leciona nos três horários do dia, ou seja, matutino, vespertino e noturno, todos os dias da semana, bem como está esta exposto na tabela abaixo:

MATUTINO
SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
Não   dá aula Dá   aula Dá   aula Não   dá aula Dá   aula
VESPERTINO
SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
Não   dá aula Não   dá aula Não   dá aula Não   dá aula Dá   aula
NOTURNO
SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
Dá   aula Dá   aula Dá   aula Dá   aula Dá   aula

A respeito da profissão docente o professor disse que “gosta de ser professor, realiza-se dentro desta profissão nobre”. Apesar de em alguns momentos da entrevista ele demonstrar uma visão demasiadamente negativa a respeito da realidade atual da educação não só no contexto da sua cidade ou do seu estado, mas do seu país como um todo. Pode parecer algo contraditório, de imediato, mas logo percebemos que não ao considerar que a realidade da educação brasileira ou alagoana em muitos casos é indignante, às vezes até de dar pena tanto para quem a observa quanto para quem a vive. Então, isso leva até os profissionais mais apaixonados pela profissão ter essa visão negativa da mesma, pois não há como ignorar o que está acontecendo ao redor deles. É neste sentido que caminha o professor entrevistado neste relatório, por um lado ele se diz um apaixonado pela profissão docente por ela realizá-lo, torná-lo importante como alguém que contribui com algo muito valioso para a vida das pessoas, que é justamente a educação; Mas que por outro lado tem essa visão negativa da realidade atual da educação brasileira e também tem a vontade que é a mesma de inúmeros profissionais da educação brasileira, que é a que esta realidade mude para melhor.

_____________________________

~X~

(Andinho Yankee)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s