PROBLEMA OITO – COMPETIÇÃO (INSEGURANÇA)

OITAVO PROBLEMA A SER SOLUCIONADO NA RELAÇÃO CONJUGAL DE N6A2011/12.

______________________________________________________________________

Que deixemos de competir, sempre escutei isso de você, mais hoje isso faz mais sentido, seja negativamente ou positivamente, sinto como se estivéssemos sempre apostando”.

Citação 8. Nesta citação, exposta porN6A2011/12, o problema é um dos que é bastante comum nas relações compostas por cônjuges com um nível de maturidade baixo para se ter uma relação conjugal de qualidade, trata-se de uma competição pessoal estabelecida entre eles. Esta competição ou disputa nem sempre é consciente, deve-se haver uma percepção mais apurada para percebê-la dentro da relação. É sabido que por trás de um espírito competitivo há sempre um sujeito inseguro, então esta competição é fruto da insegurança que um dos cônjuges ou ambos apresentam dentro da relação. É importante destacar que esta insegurança pode ser do sujeito com relação a si próprio ou do mesmo relacionado ao outro. Em geral, a intenção de um sujeito dentro de uma competição é vencer e se formos focar no sentido, no significado
do produto desta competição específica veremos que se pretende também vencer, mas na competição dentro da relação conjugal a vitória equivale, de maneira geral, a inferiorizar o outro, muitas vezes buscando reconhecimento externo. Isto é, busca-se se sentir superior ao outro mostrando a ele que é melhor em algo, assim, tornando-o inferior o individuo se sente bem dentro da relação, no entanto, não se importando se o outro também está bem. Então, é uma atitude de caráter puramente egoísta. É importante também deixar claro que na maioria das vezes isto não se dá de maneira consciente, então um indivíduo pode estar fazendo tal coisa sem saber, não sabendo das consequências de tal comportamento, achando simplesmente que fazendo aquilo está sendo bem visto pelo outro. Na verdade, agindo de tal maneira o cônjuge está tentando estabelecer a dependência do outro relacionada a si, ou seja, ele quer, através do reconhecimento do outro, que o seu companheiro se torne dependente dele. Em outras palavras, ele mostra que é bom em algo, que tem algo especial para prender o outro, para tornar o outro dependente daquilo especial que ele tem, ele mostra ao outro que se o fim do relacionamento chegar ele irá perder aquilo que é especial. De certo, isto é fruto da pura insegurança e de um sentimento que não é sadio.

_________________________________

~X~

(Andinho Yankee)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s