Pequenas pessoas, grandes dores

Ontem deitei aos prantos,

Pedindo somente “não mais”,

Clamando para não sonhar,

Pensando até em não acordar.

Solucei,

Até esperneei,

Mas acalmei-me e dormi.

E o pior, sonhei,

Eu que não queria sonhar

E outra vez me magoar,

Magoar-me com você,

Eu antes sonhava com você,

Um sonho não só de te ter, pois eu tinha,

Queria te viver,

Crescer…

E ontem, outra vez sonhei,

E o pior, sonhei com você,

Mas sorri ao amanhecer,

Pois o sonho algo me fez entender…

Entendi que não é pecado sonhar,

Que sonhos podemos tê-los às centenas,

E esta dor que me faz chorar,

E esta mágoa só virá quando meu sonho for grande,

Mas a pessoa com quem sonhei for pequena.

~X~

(Andinho Yankee)

Anúncios

2 respostas em “Pequenas pessoas, grandes dores

  1. O momento mais terrível na carreira de um arremesador durante uma partida de baseball acontece quando o técnico decide tirá-lo do jogo. Como as estatísticas no baseball são claras, todo mundo sabe, todas as 50 mil pessoas presentes no estádio sabem, que a substituição vai acontecer porque o jogador está prejudicando a equipe. Para fazer a substituição, o técnico entra em campo para tirar o jogador. O jogo pára para a troca acontecer. O arremesador deixa o campo com a cabeça baixa. Humilhado. Em silêncio. Dá pena ver o cara deixar do campo sob os olhares de milhares de pessoas, mas, temos que fazer o que tem que ser feito. Como nos negócios, o baseball é um jogo coletivo, portanto, o baseball precisa, necessita, requer, demanda e exige que cada jogador seja individualmente perfeito durante o jogo. Quando um dos jogadores vai mal, e comete um erro, ele claramente prejudica o resultado de toda a equipe, e precisa ser rapidamente substituído.

  2. É a loucura que faz as pessoas aceitarem a falsidade dos amigos, a corrupção dos políticos, os ciúmes numa relação conjugal, as dores e as condições da existência, os sistemas de produção econômicos que tendem a desumanizar o homem, a derrelição, as mentiras, as falhas de caráter dos próximos. Ou seja, a loucura é o que nos faz, de certo modo, aceitar as coisas que acontecem ao nosso redor, as quais na verdade demandaria uma atitude mais firma, mais eficaz, mais dura, em contraposição ao ato de simplesmente “fechar os olhos”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s