A dor sem amor

Nossa, deve ser ótimo para você,

Não dá para parar de imaginar,

Ver-me assim, nessa situação, nossa…

Mas eu não queria estar no seu lugar!

Ria mais!

Eu sempre te fazia sorrir, não era?

E essa meu estado deprimente,

Logicamente iria te deixar assim sorridente.

Muitas pessoas desejariam ser você agora,

Mas eu não,

Eu não quereria estar no seu lugar…

Para aumentar a sua alegria eu vou chorar agora,

Pois o assunto aqui é você,

Que mesmo sem mais fazer sentido para mim

Ainda me atrapalha o viver.

Para mim você sempre foi um sonho,

Hora o melhor, hora o pior.

Tudo muito intenso, mas justo

E se autodestruiu com o tempo,

E não foi justo,

Disso eu entendo!

Duas coisas m doeram,

Uma dói até hoje,

Seria até motivo para eu rir

Mas é a expressão de dor que insiste em fluir.

Doeu o fim,

Doeu a falta,

Doeu a necessidade,

Doeu principalmente a mudança.

Hoje me dói você,

Especificamente o que você se tornou,

Antes brilhava com seu jeito politicamente correto,

Encantava-me os seus princípios e valores.

Suas criticas eram invejáveis.

Sua consciência culta me apaixonava.

Era por tudo isso que eu te amava.

O que aconteceu?

Tudo isso desapareceu,

Esvaiu-se, de repente,

Tudo de bom se mostrou não mais presente.

E o pior, deu lugar ao oposto,

Mudou até o seu rosto,

Mudou em geral o seu gosto.

Sem consciência, princípios, valores,

Postura, o brilho, a meiguice da cultura…

Tudo ao avesso, como se fosse outra pessoa.

A doer em mim eu assisti a tudo,

Mas em certo momento veio a conformação.

As dores do fim e da falta passaram,

Restou esta dor, a da sua transformação.

Olha a sua cara, tudo para você é engraçado.

Nessa situação, hoje eu to de palhaço!

Bêbado, molhado, sujo, triste,

A típica figura que, para quem passa, não existe.

Mas você, só você, parou para rir…

De certo, foi bom para eu refletir…

…A conclusão é unânime,

Tenho certeza,

Que eu não quereria estar no seu lugar!

Sabe as roupas molhadas… Há tempo que eu não tomava um banho de chuva,

Brinquei feito criança, rodopiei olhando para o céu e cai na lama,

Isso explica também a sujeira, as roupas sujas.

Bebi por que comemoro as minhas realizações profissionais/acadêmicas,

Não é bem o que imagino que você tenha em mente.

E o semblante de tristeza, parece contradição estar assim…

Conheci alguém que me faz muito bem,

Tão bem que me deixa inseguro,

Talvez seja somente o fato de eu ser imaturo,

Mas é difícil acreditar que ela seja real.

Agora olha você, sorrindo.

Isso é bom, você está prosseguindo,

Mas, por outro lado, mostra também

Que você perdeu a noção do bem,

Tornou-se insensível,

Acho que é incapaz de amar alguém.

Lembro bem de quando a gente conversava,

Sobre o que a gente gostava, e o que a gente odiava…

Eu te admirava…

Hoje é triste ver que você se tornou o que mais repudiava.

Não vou comentar sobre a sua expressão agora,

Sei bem que depois disso você vai pensar,

Principalmente obre as suas risadas,

E se queria mesmo estar nesse lugar!

Estou triste, molhado, bêbado…

Para piorar vou começar a chorar,

Mas de alegria, emoção, quem sabe um pouco de dor,

Pois agora tenho uma vida repleta de coisas fantásticas,

No entanto,

As obtive graças ao mal que você me causou.

~X~

(Andinho Yankee)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s