As antinomias da Razão de Immanuel Kant

Immanuel Kant, autor da Crítica da Razão Pura; Onde está contido a problemática tratada abaixo.

[…] antinomia designa o fenômeno de oscilação da tese à antítese, a razão se encontrando diante de um enunciado de duas demonstrações contrárias, mas cada uma sendo coerente consigo mesma […] (JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia: 4ª Ed. Rio de Janeiro, Zahar, 2008.)

Imagem que retrata um Paradoxo.

  1. Essa citação explicita bem o que é uma antinomia, uma espécie de paradoxo que resulta da contradição entre duas proposições que, se analisadas por si próprias, são viáveis, ou seja, apresentam elementos que as tornam credíveis. Logicamente, as antinomias provêm da contrariedade entre dois argumentos, leis, atitudes, ideias, etc. Isto é, um argumento “A” defende algo que é justamente o oposto de um argumento “B” e ambos são válidos, ambos são suficientemente credíveis por si só, a razão prova tanto A quanto B.

É imprescindível saber que estas questões com conclusões conflitantes não se ocupam de simples questões arbitrárias, com valor de simples contingência, mas sim de problemáticas de caráter necessário, universal. Ademais, a antítese que aparece deve conter as características idênticas à tese, ou seja, aparece como inevitável e não é diluída facilmente como uma mera aparência.

 2. A sensibilidade nos fornece o material para que o entendimento, aplicando os seus elementos a priori neste material (sensações), possa formar juízos e conceitos acerca da realidade, ou seja, ele reúne o diverso dado pelos sentidos para assim termos condições para conhecer algo da realidade. A razão, por sua vez, sinteticamente ultrapassa estes conceitos do entendimento e tende a formar idéias. Isto é, ela vai para além do que é conhecido empiricamente, para algo que é de caráter puramente ideal.

Neste sentido, o processo pelo qual a razão vai dos conceitos do entendimento à idéia se dá de maneira lógica, como por inferências que a razão executa com base nos conceitos disponíveis no entendimento. Em outras palavras, ela alarga os conceitos condicionados (disponíveis) à outros conceitos incondicionados (além dos disponíveis) pressupondo uma totalidade absoluta – Essa totalidade é uma síntese ideal que de imediato não se pode saber se é possível nos fenômenos, mesmo assim ela permanece na razão sem ser afetada pelo fato de der possível ou impossível de se efetivar na realidade.

Estas idéias provêm da aplicação das categorias a si mesmas pela reflexão, quando na verdade, o certo seria aplicá-las somente aos fenômenos. Isto origina as idéias, que não são válidas por não terem uma base empírica (relação com a experiência), mas que surgem de um processo natural da razão. Uma vez formada esta idéia incondicionada de qualquer dado empírico e de qualquer fenômeno e, conseqüentemente das suas condições, torna-se inevitável chegar a proposições contraditórias, ou seja, às antinomias.

3. Daí surge as questões: “O que fazer diante de uma antinomia?” “Há o que fazer diante de uma antinomia?”

Pelas características que são próprias de uma antinomia não é simples achar uma solução. Mas veja bem, a solução que se procura deve ser entendida como “para a razão” e não “para a antinomia”. Pois é sabido que a antinomia é por natureza um paradoxo insolúvel, deste modo, é uma tarefa incomensurável para a razão tentar resolvê-la em si. Mas há uma maneira de ela proceder que, de certo modo, serve como sublimação.

O entrave antinômico deve ser entendido como uma disputa física entre dois entes, como diz Kant na crítica da Razão pura. Neste combate é considerado derrotado o combatente que se vê obrigado a apenas defender-se, ou seja, a vertente argumentativa que se vê numa posição passiva é considerada deficiente.

É deste modo que a razão opta por uma das teses. Primeiramente ela se coloca na posição de juiz de fronte à disputa, o que demanda imparcialidade, e deixa que se dê o conflito naturalmente, assim como naturalmente ele deve findar ficando explícita a deficiência de um das teses.

__________________________

~X~

(Anderson Yankee)

http://ask.fm/Andyankee

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s