O Eu, e Outro como outro

Por empiria, simplesmente, se olharmos ao nosso redor no dia a dia iremos notar várias coisas entre elas outras pessoas. Destas, algumas se mostram presentes na nossa vida com mais intensidade, outras com menos intensidade e, ainda, outras não tem relação direta nenhuma com a nossa vida. Das pessoas presentes, isto é, as que interagem conosco cotidianamente podemos citar as pessoas da nossa família, amigos de escola, trabalho, faculdade, etc. Já das pessoas que não tem uma relação direta com a nossa vida podemos citar todas as outras pessoas, as quais não temos nenhum tipo de interação social, contato direto e que, conseqüentemente, a existência ou não existência destas pessoas não faz a mínima diferença para nós.

[Interaçãoé o processo que ocorre quando pessoas agem em relação recíproca em um contexto social” (JOHNSON, Alan G.)].

As pessoas em geral – que fazem parte ou não das nossas vidas de forma direta – têm algo bastante peculiar em comum, a unidade. Isto é, o que faz cada indivíduo ser um, diferente de todos os outros que também são um. Em outras palavras, a unidade é o que possibilita o “Eu” em relação ao “Outro”; Este, por sua vez, se trata de todos os outros os indivíduos que não sou Eu, ou seja, todas as pessoas estranhas ao Eu – O Outro não é o Eu. Ora, se cada pessoa possui a unidade isto implica que todos são diferentes. Essas diferenças não são simplesmente físicas, fenotípicas, mas principalmente no modo de cada um agir, comportar-se e pensar, ou seja, relacionado a uma pessoa todas as outras pensam, se comportam ou agem de maneira diferente, senão em todos, pelo menos em um destes modos de expressão das diferenças[1].

Um fato que acontece cotidianamente é que as pessoas, por ignorância[2], lidam como os Outros como se eles fossem absolutamente iguais ao seu Eu, ou seja, como se as outras pessoas fossem exatamente iguais a si próprio. Com isso, passam a cobrar destas pessoas quaisquer coisas que sejam baseados em si próprio. Mas isso é extremamente negativo, pois agindo deste modo o indivíduo desconsidera totalmente a unidade do outro. Ele acaba por transportar as propriedades da sua unidade para o outro anulando a particularidade do mesmo, ou seja, ele despreza todas as implicações da unidade, isto é, que todos são diferentes principalmente no modo de pensar, agir e se comportar.

O Outro não é a sombra do Eu

Quando um sujeito tende a anular a unidade do Outro há o que chamamos de desrespeito. Isto é, a falta de respeito com relação ao que é próprio do outro. Em outras palavras, é a falta de compreensão da unidade, ou seja, o não entendimento de que cada um é um relacionado aos demais, com características próprias – isto mesmo lhe torna único. Assim, desrespeitar, neste sentido, é agir baseado na incompreensão de que o Outro deve ser enxergado como Outro. Um exemplo de um ato desrespeitoso é tentar impor um pensamento a outra pessoa simplesmente por ele fazer parte da sua tendência.

Deste modo, o certo é que haja justamente o contrário do desrespeito nas relações entre o Eu e o Outro. O ponto chave para isso se concretizar é antes de tudo compreender o Outro como Outro, isto implica enxergar a unidade predeterminada no Outro. Feito isso haverá o entendimento de que se estará lidando com alguém diferente, assim é possível lidar melhor com as limitações do outro, assim como as divergências de pensamento e também a melhor aceitação de comportamentos incomuns que posteriormente venham a ocorrer. O ato de respeitar, neste sentido, também é um ato de colocar-se no lugar do outro, mas diferentemente do desrespeito aqui o sujeito não impõe ao Outro as suas próprias condições, mas sim entende as condições do outro.


[1] É mister saber que esta diferença do Eu para todos os outros é relativa, pois elementos como a cultura determina o pensamento, as ações, o comportamento das pessoas. Isto pode gerar a concordância ou o conflito de pensamentos devido a tendências opostas ou afins.

[2] No sentido de ignorar o saber, sinônimo de mal instruído, alguém que não conhece o que realmente é.

~X~

(Andinho Yankee)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s