UM MÉTODO PARA IDENTIFICAR AMIZADES FALSAS E DIFAMADORES SAFADOS ATRAVÉS DE REDES SOCIAIS

images (5)

É bastante comum que no decorrer da nossa vida nos deparemos com “falsas amizades”. Trata-se de pessoas que estão próximas a você cotidianamente, agindo com atitudes próprias de um amigo legítimo, mas que na verdade estas atitudes são falsas, forçadas, por interesse ou por outros motivos que tornam as atitudes não verdadeiras. Por exemplo, imagine alguém que convive com você, frequenta a sua casa, sai para vários lugares com você, diverte-se com você, uma pessoa com quem você passa bons momentos juntos, loucos momentos juntos, até mesmo tristes momentos juntos. Bom tudo isso que você viveu foi falso, nada aconteceu verdadeiramente, foram momentos que aconteceram tendo como base algo que não fosse uma legítima verdade. Como reagir? Certamente é algo doloroso ou, no mínimo, algo para se espantar.
Quer saber agora algo que é mais complicado? Imagine o caso de um “amigo” fazer tudo isso que foi supracitado com você para ter informações da sua vida e te julgar em meio ao seu grupo de amigos, acabando assim te difamando. Imaginar uma situação dessa é fácil: É bastante comum termos pessoas presentes na nossa vida que acabam “fazendo a nossa caveira” com os outros de maneira confidencial, sem você saber. Certamente esta é uma situação para uma pessoa – o difamado – ficar nada menos que “P” da vida.
No caso de uma pessoa ser difamada, como no caso supracitado, a revolta pode ser menor quando o sujeito já desconfiava do que estava a se passar, pois o espanto não é dos maiores. Outro caso que podemos caracterizá-lo como de nível médio é quando o difamado não desconfiava do que estava a acontecer, mas acabara ficando a par da situação através de terceiros. Neste caso, se ele sabe quem foi o “filho da puta” que o difamou ele pode pelo menos ir rasgar o verbo com o indivíduo, ou seja, tirar satisfações com el@. Agora quando se trata do caso de o sujeito estar sendo difamado por alguém que se diz seu amigo e ele não está a par do que está acontecendo e muito menos de quem possa estar fazendo esta tremenda “safadeza” contra ele, esta sim é uma situação bastante complicada. O que fazer em um caso destes é o que tratará este texto.

1º PASSO

Não tem jeito, o primeiro passo saber que alguém está te difamando. Para você começar a interagir com o problema ele tem que fazer sentido para você. Ora, ninguém irá sair como um paranoico obsessivo por aí a procurar se há pessoas denegrindo a sua imagem. Então, na verdade, o processo só irá começar quando você tiver consciência de que alguém está te difamando. E digo, se isso estiver a acontecer uma hora você irá saber, pois quem toma tal atitude geralmente são pessoas de um nível baixo de inteligência – alguém que se preocupa em ferir a imagem de outro, alguém que tem essa preocupação não é, de fato, alguém tenha um nível elevado nos quesitos intelectualidade e humanidade -, então mais cedo ou mais tarde você ficará sabendo. Quando souber, prepare-se, o jogo começará.

2º PASSO

De conhecimento que algum “filho da puta” está a denegrir a sua imagem no seu meio social, mantenha-se calmo e esbanje no falatório. Enquanto ninguém estiver a par de que você já está sabendo do que está acontecendo eles continuarão tranquilos no seu mundinho de safadeza. Por outro lado, a partir do momento em que as pessoas sabem que você está por dentro do que está acontecendo elas já não ficarão tão confortáveis. A intenção é justamente deixar as pessoas desconfortáveis, para isso você deve tocar no assunto em um momento de reunião social, você deve expôr a sua revolta e indignação, dizer o que acha de uma pessoa que faz o que fizeram com você; fale que isso foi uma tremenda safadeza, que não esperava isso de uma pessoa que estivesse junto a você, que não entende o que leva uma pessoa a fazer isso. E a melhor parte, xingue! Diga que quem fez isso com você é um filho da puta, safado, invejoso, otário, uma pessoa desprezível, sacana. Se quiser apele! Diga que ninguém tem o direito de julgar ninguém, que odeia moralismo barato, etc. Aproveite este momento para colocar para fora tudo o que você queria dizer para o tal sacana como se ele mesmo tivesse ali. Este passo resume-se a deixar todos a par de que você sabe do que está acontecendo. Mas xingue, isso é essencial.

3º PASSO

Esta etapa se resume a ficar atento. Aí vale ressaltar que você está lidando com pessoas com um nível de razão muito baixo, são pessoas impulsivas e pouco inteligentes. Esse tipo de pessoa faz isso sem um plano determinado, elas simplesmente denigrem a imagem das pessoas sem a mínima preocupação, sem pensar que possam ser descobertas, eu acho que, de certo modo, elas querem ser descobertas. Consequência disso, principalmente do fato de serem impulsivas é que elas deixam inúmeras pistas para serem descobertas  Daí que o terceiro passo é estar atento a estas pistas. Lembram do passo “2″ onde eu disse que é essencial xingar? O objetivo disso é revoltar estas pessoas que, por serem impulsivas, acabam tomando para si os xingamentos; É como se elas chegassem em casa e passassem um bom tempo xingando você também, desejando tudo o que há de ruim para você. Mas é daí que vem a parte interessante, acontece que estas pessoas não se contentam em xingar você em casa, sozinhos, no seu quarto, no banheiro, enfim, elas correm para um meio de proliferação de informações e vai postar lá alguma coisa relacionada com o seu caso. Melhor dizendo, elas vão até a redes sociais e postar algo que visivelmente recrimina alguma atitude sua que está em evidência, objeto da difamação.
Eu imagino que esta seja uma atitude de cunho mais inconsciente do que consciente e que representa uma espécie de satisfação sublimada, funcionaria como algo do tipo: Eu quero difamá-lo, mas não posso fazer isso diretamente, pois ele já sabe que tem alguém difamando-o, isso me entregaria. Vou postar só algo pequeno relacionado pra me sentir bem, assim não ficará evidente a minha atitude. Esse foi o erro, cedeu ao impulso e criou mais uma pista contra si próprio.

4º PASSO

O próximo passo do joguinho é reunir pistas. Se o terceiro passo era ficar atento a elas o quarto é guardá-las. Isto se dá da seguinte maneira, todas as pistas que você constatar deve guardar, principalmente as que forem verificadas em redes sociais, assim você criará uma pasta de evidências. Vale ressaltar que as pistas de que falo são comentários, posts, links, conversas, etc. que estejam relacionados ao tema principal da difamação que foi feita contra você. Vale destacar também que esta atenção às pistas, assim como a reunião das mesmas, deve ser feita de maneira imparcial, pois podemos perder muito ao nos concentrar no que é postado por alguém que desconfiamos e nos desligar do que é postado por aqueles que nunca imaginaríamos fazer algo desse tipo conosco. Então, exatamente tudo o que você observar que tiver relação com o que te difamaram, guarde.
A importância de fazer esta reunião é para que não se tire conclusões precipitadas a respeito de quem seja o tal difamador, é importante que se reúna pistas por um tempo, pois assim pode-se identificar os falsos-positivos (os que parecem ser, mas não são).

5º PASSO

Abrir a pasta de pistas. Particularmente eu achei fantástico reunir as pistas por um generoso espaço de tempo e só abri-la após não encontrar pistas com tanta frequência, ficando assim na expectativa do que eu iria encontrar. Bom, abrir a pasta de pistas não significa somente abrir a pasta de pistas, significa que agora você vai refletir sobre tudo o que tem ali dentro e identificar o tal difamador.
1 DIFAMADOR
Você poderá encontrar apenas um difamador. Geralmente é dele de maneira unânime o maior número de evidências guardadas, ademais o que ele posta apresenta muita relação com o que estavam te difamando. Ao você ver tem de imediato uma intuição respeito deste cidadão.
2 DIFAMADORES
Esse caso e ainda mais interessante. É fatídico que quando há mais de um difamador eles conversam entre si e “fazem a sua caveira” juntos. Quando eles se encontram trocam difamações a respeito de você, imaginando que estão em uma reunião da liga da justiça (Essa foi ótima). A questão é, como eles conversam e discutem o tema jutos, têm uma mesma concepção, logo, argumentos em sua maioria idênticos. É a partir desta ideia que podemos identificar dois ou mais difamadores, pela aproximação dos argumentos e ideias expostos. No meu caso os meus queridos difamadores fizeram questão de postar a mesma fala, palavras idênticas, mesmo que por vias diferentes. Mas é importante saber que no caso de haver mais de um safado sempre há um “chefão difamador”, ou seja, aquele individuo que tem como missão principal de vida riscar as suas fotos, pintar seus dentes de preto, colocar-te bigode caipira. Brincadeiras a parte, o que quero dizer é que em um grupo de difamadores sempre há um “manda-chuva” e este você também na sua pasta de pistas como aquele indivíduo que posta mais, que apela mais, que tem as ideias mais organizadas, etc., pois geralmente estes dedicam um tempo no seu dia a dia para pensar naquele sujeito que ele difama. Bom, os demais que você identificou com discursos parecidos são os influenciados pelo chefão, que se ligam a ele por amizade mas que não estão de todo entregues a tal questão da difamação.

Se descobrirem um modo de melhorar este método comente aí, please.

___________________________

~X~

(Anderson Yankee)

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s